1º Congresso Latino-Americano de Steel Framing é considerado um marco na história do sistema construtivo e sinaliza uma nova era na construção civil

Evento reuniu, em São Paulo, os principais especialistas em Light Steel Framing (LSF) das Américas e os congressistas já contam com a segunda edição, para o próximo ano.

Mais de 500 participantes acopanharam dois dias de palestras

O Teatro do Hotel Renaissance, na capital paulistana, teve sua capacidade de lugares repleta de congressistas e palestrantes, sendo que alguns tiveram de se acomodar entre corredores do ambiente para acompanhar o 1º Congresso de Light Steel Framing, realizado pela Take Comunicação e pela Mictech Cursos- empresa que se dedica a treinamento e capacitação de profissionais para projetar e construir com este sistema construtivo industrializado e sustentável, que já ocupa lugar de destaque na construção civil de diversos países como Japão, Estados Unidos, Alemanha, Canadá e tantos outros, e que toma corpo e ganha espaço na América do Sul.

Segundo a idealizadora e coordenadora do evento, Luana Carregari, era importante apresentar um panorama do desenvolvimento deste sistema construtivo no Brasil e na América latina, de forma consistente e abrangente e propiciar o diálogo entre os profissionais, a indústria, universidades, os órgãos regulamentadores e instituições representativas do setor. “É importante que haja um maior comprometimento de todo segmento para o desenvolvimento do LSF no Brasil. Entender como o LSF está se desenvolvendo em outros países e trocar experiências enriqueceu o evento, que reuniu aproximadamente 550 profissionais de diversas regiões do Brasil e da América Latina. Nosso vídeo de divulgação dizia ” você vai se surpreender.” E, de fato, sabíamos que surpreenderia a todos, se reuníssemos as experiências e obras que estão acontecendo no Brasil nos últimos cinco anos”, enfatiza Luana Carregari.

As Inscrições já estavam esgotadas a dez dias do evento e muitas pessoas que tentaram conseguir ingresso no local, não conseguiram entrar nas palestras. “Historicamente, alguns marcos foram importantes ao Light Steel Frame. Em 1933, um protótipo de casa em LSF foi apresentado na Feira Mundial de Chicago (EUA). Após 2ª Guerra Mundial, em 1950, o LSF tornou-se comum no Japão devido à necessidade de reconstrução de quatro milhões de moradias. Na década de 80, novamente nos EUA, os perfis leves de aço ganharam competitividade e começaram a substituir a madeira. No Brasil, a introdução do LSF ocorreu após os anos 90, ainda com alguns produtos importados. Apenas a partir do ano 2000, todos os componentes deste sistema passaram a ser produzidos nacionalmente. Mas, em 2015, um novo marco consagra definitivamente a tecnologia do LSF: a realização do Primeiro Congresso Latino Americano, no Brasil. O sucesso deste evento certamente refletirá em novos rumos à construção civil”, declara o Professor Doutor Carlos Marmorato Gomes, do departamento de Engenharia Civil e Arquitetura, da Unicamp. Marmorato palestrou sobre a importância do ensino desta tecnologia construtiva nas universidades brasileiras e é reconhecido como grande incentivador de novas tecnologias construtivas que correspondam às necessidades deste século, uma construção racional e industrializada, rapidez de execução, qualidade, redução do desperdício, com conceito mais sustentável na utilização de materiais reciclados e recicláveis e com projetos pensados para a vida útil do empreendimento.

Assim como o acadêmico, muitos outros congressistas e apoiadores do evento se manifestaram plenamente satisfeitos com o encontro e otimistas com a popularização do Light Steel Framing deste lado do planeta, entre eles o diretor da Framecad Américas, Stanley Adwell, a mais tecnológica empresa em softwares e máquinas perfiladeiras deste sistema construtivo, que comandou o painel sobre tecnologia e o processo da produção automatizada, desde o projeto até a construção. “Foi um evento espetacular, profissional, abrangente e baseado no conhecimento inovador para o desenvolvimento do LSF. Cabe agora aos envolvidos neste setor manter a dinâmica, captar o interesse do mercado e seus líderes para criar as bases o sistema construtivo. A ideia é educar, inspirar e concentrar a atenção dos mercados sobre as vantagens, os sistemas disponíveis e metodologias em elevado nível profissional”.

O Congresso contou com a participação de toda cadeia produtiva e alavancou vários negócios para as empresas que expuseram seus produtos. Para os profissionais foi uma importante troca de informações e experiências.  Patrocinadores como a Framecad, Votorantim Metais, Eternit e outras importantes empresas do setor, que apostaram no evento, se mostram plenamente satisfeitas com os resultados. “O nível e qualidade das palestras bem como dos participantes foi surpreendente. Por se tratar do primeiro Congresso, a adesão foi total e a lotação superou minhas expectativas. Comercialmente falando também foi um sucesso. Realizamos inúmeros contatos, inclusive com profissionais estrangeiros do Uruguai e Argentina”, declara o engenheiro Mauro Cruz, gerente da divisão de construção civil da Trisoft.

Outra observação positiva foi de Francisco Pedrazzi, Presidente do INCOSE Instituto de Construção a Seco da Argentina e Gerente de marketing e novos projetos da AD Barbieri, empresa argentina com mais de 60 anos, entre as líderes de fabricação de produtos para o mercado da construção. É uma das mais importantes empresas do setor de fabricação de perfis de aço galvanizado para construção a seco. Pedrazzi veio ao Congresso para falar do desenvolvimento da construção a seco nos países latino-americanos. “O sucesso deste primeiro Congresso Latino-Americano de Light Steel Frame, tanto pelo público que assistiu como pelo conteúdo das palestras mostram que o sistema já é uma realidade na América Latina. Mas ainda há muito a ser feito em termos de promoção, educação, formação profissional e treinamento. Para os participantes e palestrantes o futuro envolve um desafio para lograr que o LSF seja naturalmente, um sistema de escolha para a construção de edifícios em nossos países.”

Sobre a evolução de materiais na construção civil e benefícios no aumento da vida útil dos perfis de aço galvanizado, falou a Engenheira Química Daniele Albagli, que comanda o setor de Marketing e Desenvolvimento de Mercado para a Votorantim Metais, uma gigante no setor de insumos da construção a seco no Brasil.

Para a engenheira civil, Catia Mc Cord Coelho, que mediou o painel sobre sustentabilidade na construção civil, o 1º Latino-Americano de LSF foi um marco porque apresentou como o conservadorismo da construção civil brasileira está em processo de mudança. O evento apresentou respostas sobre a vocação do sistema LSF. Casos inquestionáveis de sustentabilidade, de versatilidade e rapidez foram apresentados. Foi demonstrado que a produtividade vem da inovação, da tecnologia, da industrialização e do planejamento. O sistema LSF se apresenta oportuno diante da reiterada importância da ABNT NBR 15575 de desempenho.  Exemplos e dicas de como reduzir prazos com qualidade a custos competitivos também se destacaram. Novos componentes e alternativas, assim como cuidados essenciais foram evidenciados. As experiências chilena, argentina e uruguaia convergiram na influência da padronização, normalização e conscientização das características do sistema LSF. Ela afirma que, mesmo diante deste cenário promissor, o sistema construtivo LSF carece de providências, ainda prementes, mas não limitadoras à manutenção do crescimento do sistema LSF no país, como aprovar no âmbito da ABNT o texto-base para norma técnica sobre requisitos gerais do sistema LSF; manter a capacitação contínua de mão de obra; constituir entidade representativa da cadeia LSF para difundir mais amplamente o sistema, o bom projeto, a boa instalação, assim como manter normas técnicas atualizadas e convênios com universidades e escolas técnicas.A engenheira finaliza dizendo que o sistema Light Steel Framing – LSF satisfaz à causa sustentável, sem desperdícios, com humanização nas relações de trabalho e rapidez na entrega. E o aço é o material amigável para o pretendido desenvolvimento sustentado. O sistema valoriza a qualificação profissional, dignifica o trabalho mais leve, limpo, com menor desgaste de tempo e energia assim como reduzidas margens de erro, uso dos materiais na medida certa, sem sobras, sem desperdício ambiental.

Com objetivos alcançados e ainda muitos desafios para a popularização da construção a seco no Brasil, os congressistas, empresas e palestrantes já aguardam pelo 2º Congresso Latino-Americano de Steel Frame, que será realizado nos dias 19 e 20 de maio de 2016.

Luana Carregari, coordenadora do congresso ao lado de Zanetinni, o pioneiro da construção com aço no Brasil
Luana Carregari, coordenadora do congresso ao lado de Zanetinni, o pioneiro da construção com aço no Brasil
_MG_9806
Final do segundo dia de Congresso, palestrantes e organizadores comemoram resultados
Importantes empresas do setor, que apostaram no evento, se mostram plenamente satisfeitas com os resultados
Importantes empresas do setor, que apostaram no evento, se mostram plenamente satisfeitas com o evento
Pablo Azqueta abordou o conforto térmico e acústico das edificações em LSF
Pablo Azqueta abordou o conforto térmico e acústico das edificações em LSF
Márcio Pernambuco, do CREA SP falou sobre regulamentação do sistema
Márcio Pernambuco, do CREA SP, falou sobre a importância da regulamentação do sistema construtivo LSF

 

O desafio é que o LSF seja, naturalmente, um sistema de escolha para a construção de edifícios em nossos países
“O desafio é que o LSF seja, naturalmente, um sistema de escolha para a construção de edifícios em nossos países”
Stanley Adwell, Framecad, Luana Carregari, idealizadora do evento, Heloisa Pomaro, Micura Steel Frame e Ralpha Hays, Consul Geral da Nova Zelândia
Stanley Adwell, Framecad, Luana Carregari, idealizadora do evento, Heloisa Pomaro, Micura Steel Frame e Ralpha Hays, Consul Geral da Nova Zelândia

 

Construir sem aborrecimentos, com tecnologia e de bem com o planeta

Sem um único tijolo, com economia de água, sem atrasos na obra e com muita tecnologia. Será que uma obra assim existe?  A construção civil está evoluindo e com o sistema construtivo Light Steel Framing tudo isso é possível. O sistema ganha força no Brasil e será tema de Congresso em São Paulo neste mês de maio. 

2 para ilustrar release do congressoTijolos, montes de areia e pedra e muito aborrecimento com pedreiros atrasados, erros de cálculos de material e desperdício de tempo e dinheiro. Este é o cenário previsto para quem quer construir a casa ou o prédio comercial com a velha alvenaria. Mas isso está acabando graças às novas tecnologias de construção, entre as quais, os Light Steel Frame, muito comum nos Estados Unidos, Japão e Europa, o sistema é composto por perfis leves de aço galvanizado, que podem ser fechados por placas cimentícias, por painéis de tiras de madeira orientadas (Oriented Strand Board, ou OSB) ou por placas de gesso acartonado. Tecnicamente a definição para o Sistema Light Steel Framing (LSF) é: Frame é o esqueleto estrutural projetado para dar forma e suportar a edificação, sendo composto por elementos leves – os perfis formados a frio (PFF) e Framing é o processo pelo qual se unem e vinculam esses elementos.

Além disso, entre as estruturas de revestimento há um “recheio” de lã mineral ou de PET para garantir conforto termoacústico. Conforto este, muito superior ao da  tradicional alvenaria. Trata-se de uma obra onde a industrialização permite a racionalização e a ausência de erros, o que poupa entulhos e sujeira. As vantagens da construção em Light Steel Framing são muitas, se comparadas à tradicional alvenaria. “A precisão que o sistema industrializado oferece, além da velocidade da montagem, limpeza, organização do canteiro de obra e inexistência de entulhos, proporciona uma economia significativa. Sem contar a qualidade das construções que são seguras, fazem frente às intempéries da natureza, possuem manutenção fácil e a durabilidade é comprovada por construções americanas com mais de 200 anos” defende a arquiteta Heloisa Pomaro, uma das pioneiras do Ligth Steel Frame no Brasil e diretora da Casa Micura Steel Frame, empresa de Mogi das Cruzes/SP que atende a todo o Brasil.  O LSF avança em diversos países e tem se mostrado como uma das melhores alternativas para a construção civil atual, por se alinhar às necessidades deste século: prazos curtos, eficiência produtiva, redução de impacto ambiental, mão de obra qualificada. Tanto a indústria da construção, quanto os profissionais atentos às novas tecnologias estão procurando soluções e aderindo às inovações tecnológicas, que vieram agregar novos elementos e soluções eficazes na busca de edificações seguras e sustentáveis.

É um processo novo e definitivo para a história da construção civil segundo a empresária Luana Carregari, diretora da Mictech Treinamentos, que há quase uma década capacita profissionais para o sistema Light Steel Framing.  “Construir em alvenaria é como ignorar o tablet para usar máquina de escrever. A construção civil já tem o seu tablet , o seu smartfone“, compara a empresária.

 Em tempos de crise hídrica é a melhor opção

Da água retirada de rios e aquíferos para o uso humano, cerca de 16% é destinada à construção civil. O cenário de um canteiro de obra de alvenaria prevê água correndo por todos os lados, seja no concreto, argamassas, chapiscos, rebocos ou assentamento de tijolos (que são umedecidos) até a limpeza das ferramentas de trabalho. Fora o desperdício desta água, que chega a 30% e dos demais materiais.Em meio à nossa atual crise hídrica e com os modos e hábitos tendo de ser modificados agressivamente, os olhos do consumidor, da indústria e das construtoras estão voltados para sistemas construtivos a seco, sendo que o mais cotado é o sistema Light Steel Framing, que utiliza água somente na fundação e o restante da obra é feita a partir de produtos industrializados. A economia de água chega a 80% se compararmos com a alvenaria.

Congresso  Latino-Americano reunirá especialistas

Para mostrar todo o avanço do LSF, um congresso latino-americano será realizado em maio, nos dias 28 e 29, no hotel Renaissance, em São Paulo, reunindo grandes especialistas, indústria e profissionais que pretendem mostrar um panorama completo deste sistema construtivo no Brasil e no mundo.

Muitas experiências serão compartilhadas, como por exemplo, a da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), que inaugurou em dezembro de 2013 o bairro Novo Plataforma, em Congonhas (MG), com 90 casas feitas com sistema construtivo Light Steel Framing (LSF). O “case” será mostrado pela arquiteta Eneida Jardim, gerente comercial e de marketing da CSN. Outro “case”  interessante, será apresentado pelo arquiteto Alexandre Kokke Santiago, que vai falar da construção de mais de uma centena de Unidade Básicas de Saúde, todas em  LSF, no estado de Minas Gerais. Outras obras notáveis serão mostradas no evento, como a reforma do estádio do Maracanã, construção da Vila Olímpica,  ampliação de aeroportos, como o de Guarulhos, executado pela Idea Sistemas Construtivos e pela Micura Steel Frame.

Educação também é tema do Congresso, onde será abordado o  ensino de Ligth Steel Frame em universidades. O professor doutor Carlos Marmorato Gomes irá mostrar o trabalho feito na Unicamp, que é pioneira no ensino desta tecnologia em seu curso de graduação e também de pós-graduação, criando até mesmo um laboratório de pesquisas para este sistema e aplicação prática na empresa junior do campus.

O objetivo do Congresso é trazer ao segmento da construção civil um panorama do desenvolvimento deste sistema construtivo e discutir os desafios da aceitação e da disseminação de informações, tanto para profissionais da área, como para o consumidor final.

 

 

Serviço:

1º CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE LIGHT STEEL FRAME 

Cidade: São Paulo – Brasil

Data: Dias 28 e 29 de Maio de 2015

Local: Hotel Renaissance – Rua Haddock Lobo, esquina com Alameda Jaú – Jardins

Inscrições pelo site: http://congressosteelframe.com.br

Light Steel Frame: uma revolução silenciosa no setor da construção civil

LSF Imagem do site

O Light Steel Framing  avança em diversos países e tem se mostrado como uma das melhores alternativas para a construção civil atual por se alinhar às necessidades deste século: prazos curtos, eficiência produtiva, redução de impacto ambiental, mão de obra qualificada e economia.  Mas o que é Light Steel Frame? é caro,  é seguro? Estas ainda  são as dúvidas do consumidor final, pois tudo o que é novo, causa resistência.

Para quem não conhece, o sistema é composto por perfis leves de aço galvanizado, que podem ser fechados por placas cimentícias, por painéis de tiras de madeira orientadas (Oriented Strand Board, ou OSB) ou por placas de gesso acartonado. Altamente sustentável, por usar aço, um produto 100%  reciclável e economizar até 80% de água na execução da obra, tem ainda preços competitivos e é muito seguro,  capaz de enfrentar as piores fúrias da natureza, uma vez que foi criado e implantado em países de ventos fortes e terremotos.

O sistema Light Steel Frame,  há muito tempo conhecido e utilizado na América do norte, na Ásia e em países da America Latina, como o Chile e o México,  começa a ter espaço no mercado brasileiro. Empresas líderes de mercado exterior, com  os maiores faturamentos provenientes da construção a seco, estão apostando no crescimento do LSF por aqui e se instalando pelo país, como é o caso Framecad, indústria  da Nova Zelândia,  em operação há 28 anos no mercado global e já opera no Brasil e demais países da América do Sul, com fôlego dos seus 75 milhões de dólares em faturamento anual.  Esta empresa conta com mais de 550 sistemas operando em mais de 68 países  é reconhecida como o sistema mais rápido do mundo em projetos de Light Steel Frame e é líder no mercado de engenharia de software e fabricantes de equipamentos.

Quem também está operando no Brasil, com excelentes resultados, é a A.D. Barbieri, que tem sede na Argentina,  está presente em 24 países e decidiu ampliar seus horizontes, instalando sua unidade brasileira em 2011. A tecnologia de fabricação, única na América Latina, garante ao mercado brasileiro uma oferta de perfis de aço galvanizado de altíssima qualidade, a preços competitivos, satisfazendo amplamente a demanda crescente destes produtos.

Outra importante empresa do setor, A LP Building Products, possui fábricas nos EUA, Canadá e Chile e entrou em operação no Brasil em novembro de 2008, contando com mais de 20 unidades fabris. São mais de 30 anos de experiência e tradição na produção de painéis OSB. A empresa fabrica e comercializa uma linha completa de produtos para a construção framing, tornando o método, que oferece vantagens significativas como a economia de tempo e material, ainda mais atraente para o construtor brasileiro. A LP Brasil já conta com uma rede que disponibiliza seus produtos em mais de 800 cidades brasileiras.

Com o pé firme no mercado Brasileiro está também a A USG (United States Gypsum), companhia americana com sede em Chicago/ Illinois – EUA, é a maior e mais tradicional empresa do mundo no segmento e inventora de importantes produtos como as placas de gesso para drywall, cimentícia para light steel framing, perfis de aço leves, entre outros.  Está presente em 140 países, tem 9 mil colaboradores e fatura 5 bilhões de dólares por ano.

No Brasil, a gigante Votorantim, tem a sua divisão Metais e já se insere neste segmento como fornecedora do zinco que recobre os perfis LSF. A Votorantim Metais  apoia o desenvolvimento do setor e tem trabalhado para a disseminação da informação para os profissionais desta cadeia produtiva. E a Eternit se orgulha  por ser uma das primeiras indústrias a difundir, com seus produtos, o Steel Framing no Brasil. Desde a Placa Cimentícia Prensada, com a qual trabalham desde a década de 70, criaram tendência, que vem sendo seguida por muitas outras industrias.

Com tantos gigantes investindo no setor, o Light Steel Framing cresce em aplicação em residências unifamiliares, além de creches, escolas, galpões, lojas comerciais, alojamentos de obras e em diversas tipologias. Outro nicho que ganha força é o de vedação de fachadas em shopping centers, edificações industriais e edifícios comerciais e de habitação, em que se pode substituir a alvenaria e o concreto.

Para mostrar todo o avanço do LSF, um congresso latino-americano será realizado em maio, nos dias 28 e 29 , no hotel Renaissance, em São Paulo, reunindo grandes especialistas , indústria e profissionais que pretendem mostrar um panorama completo deste sistema construtivo no Brasil e no mundo.

Muitas experiências serão compartilhadas, como por exemplo, a da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), que  inaugurou em dezembro de 2013 o bairro Novo Plataforma, em Congonhas (MG), com 90 casas feitas com sistema construtivo Light Steel Framing (LSF). O “case” será mostrado pela Engenheira Eneida Jardim, gerente comercial e de marketing da  CSN. Outro “case”  interessante, será apresentado pelo arquiteto Alexandre Kokke Santiago, que vai falar da construção de mais de uma centena de Unidade Básicas de Saúde, todas em  LSF, no estado de Minas Gerais. Outras obras notáveis serão mostradas no evento, como a reforma do estádio do Maracanã, construção da Vila Olímpica,  ampliação de aeroportos, como o de Guarulhos, executado pela Idea Sistemas Construtivos e pela Micura Steel Frame.

Educação também é tema do Congresso, onde será abordado o  ensino de Ligth Steel Frame em universidades. O professor doutor Carlos Marmorato Gomes irá mostrar o trabalho feito na Unicamp, que é pioneira no ensino desta tecnologia em seu curso de graduação e também de pós-graduação, criando até mesmo um laboratório de pesquisas para este sistema e aplicação prática na empresa junior do campus.

O objetivo do Congresso é trazer ao segmento da construção civil um panorama do desenvolvimento deste sistema construtivo e discutir os desafios da aceitação e da disseminação de informações, tanto para profissionais da área, como para o consumidor final.

 

Serviço:

1º CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE LIGHT STEEL FRAME

Cidade: São Paulo – Brasil

Data: Dias 28 e 29 de Maio de 2015

Local: Hotel Renaissance – Rua Haddock Lobo, esquina com Alameda Jaú – Jardins

Inscrições pelo site: http://congressosteelframe.com.br

 Acompanhe as novidades e curta nossa página no Facebook https://www.facebook.com/congressosteelframe

 Twitter.com/congressolsf

Obs.: Alunos da Mictech, professores e alunos universitários e grupos  têm descontos especiais.

Apoio:  Asbea, Crea, ICZ, CBIC, Portal Metálica e Portal da Construção a Seco

Imprensa: denise@congressosteelframe.com.br

 BRASIL – ARGENTINA – CHILE – COLOMBIA – MÉXICO – PANAMÁ – VENEZUELA

 

Professor da Unicamp apresenta experiências do ensino do Ligth Steel Framing no 1º Congresso Latino-Americano de LSF

Protótipo em LSF construído pelos alunos de Engenharia Unicamp
Protótipo em LSF construído pelos alunos de Engenharia Unicamp

A Unicamp é a pioneira do ensino do método Light Steel Frame no curso de graduação. O professor Carlos Marmorato Gomes, pós-doutorado em Steel Framing pela Universidade de São Paulo e mais um grupo de professores entusiastas de novas tecnologias na construção civil são os responsáveis por estimular os alunos de engenharia e arquitetura da universidade a se interessarem por novos sistemas construtivos.

Marmorato conta que foi responsável também pela implantação da disciplina no campus da USP de São Carlos, no curso de pós-graduação. “Os alunos se interessam muito em aprender sobre técnicas inovadoras e sustentáveis, como o Light Steel Frame e se dedicam aos projetos que temos na Unicamp. Temos uma empresa júnior, no Projec, um protótipo de obra em LSF com 25 metros quadrados, construído pelos alunos.”

Para o professor Marmorato os cursos de engenharia e de arquitetura deveriam incluir o ensino de sistemas construtivos em seus cursos de graduação para disseminar novas técnicas e preparar o profissional para um novo panorama da construção civil.  “Na Unicamp esta disciplina é eletiva e o LSF também é abordado dentro de outra disciplina, a de Técnicas Construtivas”, declara o professor.

Carlos Marmorato vai mostrar sua experiência com o ensino do Light Steel Frame durante o 1º Congresso Latino-Americano de Steel Frame, que será realizado em 28 e 29 de maio, em São Paulo.

O objetivo do encontro é trazer ao segmento da construção civil um panorama do desenvolvimento deste sistema construtivo no Brasil e na América Latina. Representantes do Governo Federal, dos Conselhos de Arquitetura e Engenharia, do sistema financeiro e as mais importantes indústrias deste setor já confirmaram suas presenças no evento.

 

Light Steel Framing: um mercado em expansão

 Líderes de mercado da construção a seco em Light Steel Framing, como a FRAMECAD, apostam no Brasil e na América do Sul

Este congresso deve resultar num intercâmbio de ideias para acelerar o crescimento do LSF
Este congresso deve resultar num intercâmbio de ideias para acelerar o crescimento do LSF

O sistema construtivo Light Steel Framing avança em diversos países e tem se mostrado como uma das melhores alternativas para a construção civil atual, por se alinhar às necessidades deste século: prazos curtos, eficiência produtiva, redução de impacto ambiental, mão de obra qualificada e economia de recursos naturais, como a água, com  economia de 80% em relação aos sistema construtivos tradicionais. A sustentabilidade já começa na estrutura das obras em Steel Framing, cuja base é o aço, que figura entre os materiais mais recicláveis e reciclados do mundo.

Por essas razões, o mercado se expande no mundo todo e no Brasil não é diferente. Empresas líderes deste setor da construção estão chegando com muita inovação, entre elas a Framecad, indústria da Nova Zelândia, que está em operação há 28 anos no mercado global.  A empresa que conta com mais de 550 sistemas operando em mais de 68 países, é reconhecida como o sistema mais rápido do mundo em projetos de Light Steel Frame e é líder no mercado de engenharia de software e fabricantes de equipamentos.

De acordo com Stanley Adwell, diretor executivo da  Framecad Américas,  os primeiros sistemas da empresa chegaram ao Brasil por volta do ano de 2008. “Desde então temos aumentado nossa rede de parceiros, que atualmente, são sete no Brasil e nosso objetivo é crescer e fortalecer nossa rede nacional para fornecer e melhorar as metodologias de construção de Steel Frame em todo o país. Nossa sede das Américas está localizada em Dallas, Texas, mas possuímos um escritório no Rio de Janeiro. Estamos estudando a possibilidade de abrirmos um escritório permanente no Brasil, de acordo com o crescimento da indústria e a aceitação do Steel Frame”.

Adwell destaca que as expectativas para o mercado brasileiro são substanciais. “Considerando que o mercado brasileiro atingiu um “ponto” onde, pela primeira vez em sua história, “exigir” agora é mais importante do que “tradição”, ou seja, durante toda a história do Brasil, não foram aceitas e houve resistência a qualquer outra metodologia além do cimento ou tijolo, hoje, a extrema demanda para projetos de construções residenciais e comerciais aumentou tanto que impossibilita a capacidade de atender a essa demanda por metodologias tradicionais de construção”.

Ele acrescenta ainda que com o Steel Framing os cronogramas de construção podem ser reduzidos em até 50%, com redução de 2/3 de mão-de-obra, sem produção de resíduos e desperdícios, com um produto final que é resistente ao mofo, pragas, ventos, fogo e, tem certificação sísmica.

O diretor revela ainda que a mesma expectativa se aplica ao mercado sul-americano. “Em países como o Chile, eles adotaram há muito tempo a estrutura de construção “Light Gauge Steel” e avançaram na aceitação desta metodologia em seus códigos. Colômbia, Equador, Peru e Uruguai seguem rapidamente o mesmo caminho”, revela Adwell.

O sistema Framecad tem sido usado em projetos construtivos no mundo inteiro, com faturamento anual 70 a 75 milhões de dólares e milhares de colaboradores e envolvido em importantes projetos, como por exemplo, FIFA, Olimpíadas e milhares de projetos residenciais, comerciais, governamentais e sociais.

 Diretor da Framecad é palestrante no 1º Congresso Latino-Americano de Steel Framing

Stanley Adwell vem ao Brasil para uma palestra no Congresso de Steel Frame que será realizado nos dias 28 e 29 de maio, no Hotel Renaissance, em São Paulo. O tema que vai abordar é “Tecnologia, industrialização e o futuro da  construção civil”. Adwell enfatiza que como qualquer outra tecnologia introduzida no mercado, a indústria traz a oportunidade para avançar. “Considere que o aço tem sido usado há décadas, na construção civil, como um material comprovado, não é novo para a indústria da construção. As vantagens e benefícios de “Light Gauge Steel” são evidentes em todos os sentidos. Atualmente, a tecnologia permite o uso do medidor de estrutura leve ou aço formado a frio para serem amplamente aceitos pela indústria de construção, inclusive escritos nos códigos de construção mais rigorosos do mundo, considerando regiões sísmicas, de ventos e fogos e aceitos sob as mais rigorosas normas e certificações. A industrialização do setor de construção é o culminar da velocidade de produção, com componentes de projetos simplificados, reproduzíveis e rápidos (paredes, banheiros, seções modulares, treliças, etc.) e a aplicação instantânea do material à estrutura, resultando em projetos de maior qualidade com os menores custos e desperdícios”.

Sobre os desafios deste sistema construtivo no Brasil, ele afirma que são aceitação e educação. “Resistência à mudança é o único inibidor de um avanço maior. Na maioria dos casos, é a falta de vontade, ou teimosia de influenciadores de uma indústria específica e líderes que seguram o progresso onde existem as maiores necessidades, sendo que seriam de grande benefício para esses mesmos líderes e influenciadores. “Light Gauge” Estruturais ou “Cold Formed Steel Framing” enfrentam desafios que nascem puramente de hábitos da metodologia de construção tradicional e, simplesmente, com o desconhecimento e inexperiência da tecnologia disponível atualmente”, finaliza Stanley Adwell.

USG participa e apoia o 1º Congresso Latino-Americano de Steel Framing

Fábio Din é um dos palestrantes do 1º Congresso Latino-Americano de Steel Frame que será realizado nos dias 28 e 29 de maio, no Hotel Renaissance, em São Paulo. O representante da USG vai mostrar o panorama deste sistema construtivo no Brasil e no mundo
Fábio Din é um dos palestrantes do 1º Congresso Latino-Americano de Steel Frame que será realizado nos dias 28 e 29 de maio, no Hotel Renaissance, em São Paulo. O representante da USG vai mostrar o panorama deste sistema construtivo no Brasil e no mundo

A USG ( United States Gypsum ) é uma companhia americana com sede em Chicago/ Illinois – EUA, de capital aberto,   fundada em 1902, que se dedica ao desenvolvimento e produção de sistemas construtivos a seco.É a maior e mais tradicional empresa do mundo no segmento e inventora de importantes produtos como as placas de gesso para drywall, cimentícia para light steel framing, perfis de aço leves, entre outros  componentes.

Está presente em 140 países, tem 9.000 mil colaboradores e fatura 5 bilhões de dólares por ano. Possui um exclusivo centro de pesquisa em Libertyville – Illinois – EUA onde são criados novos produtos, mais leves, eficientes e sustentáveis, além disso conta com o maior portfólio de certificações e laudos que garantem a qualidade dos seus produtos.  Opera atualmente com sete importadores e que possuem estoque permanente das chapas de gesso SheetRock ST, RF e RU, cimentícia Durock, massa Joint Compound, Basecot e acessórios para Light Steel Framing.

A empresa acredita e investirá no Brasil com o objetivo de contribuir com o desenvolvimento do mercado da construção a seco no país, com produtos inovadores, políticas comerciais sólidas e que agreguem valor para os distribuidores, qualidade para os instaladores e construtores e tranquilidade, conforto, performance e segurança para quem projeta e consome as soluções USG.

No Brasil, a empresa será é dirigida por Fábio Din, responsável pelas áreas comercial e marketing, e por Maria Thereza Castro, nas áreas de especificação, treinamento e suporte técnico. Os dois profissionais têm grande experiência no mercado brasileiro da construção a seco. “Estamos intensificando a importação de produtos USG, dando suporte técnico para especificações e garantindo a utilização correta de cada produto”, explica Fábio Din.
Segundo ele, a empresa tem convicção de que contribuirá para a evolução do mercado brasileiro, pois além de ser uma empresa centenária investe milhões de dólares todos os anos em novas tecnologias que resultem em soluções sustentáveis, econômicas e eficientes para toda a cadeia produtiva: “Acreditamos no Brasil e faremos dos nossos negócios aqui referências para toda a América-Latina, com respeito absoluto às legislações técnicas, fiscais e aos nossos distribuidores”, disse Fábio Din.

Fábio Din é um dos palestrantes do 1º Congresso Latino-Americano de Steel Frame que será realizado nos dias 28 e 29 de maio, no Hotel Renaissance, em São Paulo. O representante da USG vai mostrar o panorama deste sistema construtivo no Brasil e no mundo.  Além dele, grandes empresas do mundo apoiam o Congresso. Entre elas, Votorantim Metais, Framecad, Isosoft, Barbieri, LP, Eternit, entre outras.

Os congressistas terão a oportunidade de ouvir catedráticos do Steel Frame, entre os quais, o arquiteto argentino Pablo Azqueta, que abordará o isolamento termoacústico em Steel Framing, no painel sobe Eficiência Energética, Patológica e  Física aplicada em edifícios em Ligth Steel Frame. Outro grande pesquisador no Brasil do sistema construtivo é o professor doutor Carlos Marmorato Gomes, que falará sobre a importância do ensino de técnicas construtivas inovadoras, como o Steel Framing, em cursos superiores, como o da Unicamp, onde o tema é bastante explorado nos cursos de Engenharia Civil e Arquitetura.  O presidente da Incose (Instituto de La Construccion En seco) da Argentina,  Francisco Pedrazzi também dará sua contribuição no Congresso, falando sobre a evolução e consolidação do mercado latino-americano no setor de LSF.

O Congresso é uma realização da Take Comunicação e da Mictech Cursos e Treinamentos, com apoio do ICZ (Instituto de Metais não Ferrosos), Crea, Asbea e Portal Metálica.

Para saber da programação completa e como se inscrever e participar, basta entrar no site do evento: www.congressosteelframe.com.br ou no Facebook/congressosteelframe.

 

 

 

Informações para imprensa: denise@congressosteelframe.com.br e +5511 4721-3749

 

Inscrições abertas para o 1º Congresso Latino-Americano de Steel Framing

Evento será em São Paulo e reúne as maiores autoridades da construção a seco do Brasil e das Américas. As maiores empresas do setor e instituições de arquitetura e engenharia apoiam o evento, que irá mostrar um panorama completo da construção industrializada em LSF

zanettini
Arq. Siegbert Zanettini: “Rompendo os tabus e as “meias verdades” que cercam a cadeia produtiva da construção civil, o Steel Frame ganhará a sua oportunidade pela leveza, limpeza e rapidez na execução de obras mais sustentáveis”.

São Paulo 01.04.15 –  No teatro do Hotel Renaissance em São Paulo, Brasil, catedráticos da engenharia e arquitetura, que disseminam os novos sistemas construtivos, industrializados, com eficiência energética, de tempo e de economia de recursos naturais, irão falar no Primeiro Congresso Latino-Americano de Steel Frame, que será realizado nos dias 28 e 29 de maio de 2015, na cidade de São Paulo. As inscrições estão abertas e as vagas são limitadas.

Entre as autoridades que confirmaram presença no evento estão Gilberto Belleza, presidente do CAU-SP, professor Siegbert Zanettini, considerado a maior referência no Brasil da construção em aço. “Rompendo os tabus que cercam a cadeia produtiva da construção civil, o Steel Framing ganhará a sua oportunidade pela leveza, limpeza e rapidez na execução de obras mais sustentáveis”, declara .  Outra importante autoridade do Congresso é João Abukater Neto, presidente da COHAB – Companhia Metropolitana de Habitação – para falar no painel de Habitação de Interesse Social, do qual participa também a Caixa Econômica Federal e Francisco Pedrazzi, que preside o Instituto de La Construccion En Seco, da Argentina e do Uruguai.

Os organizadores do Congresso têm a finalidade de promover e divulgar os principais avanços do sistema construtivo Steel Framing, da indústria da construção a seco e também a sua importância e potencialidade.

As empresas que apoiam o evento e mostram seus produtos e serviços, em estandes e cases, são líderes de mercado no Brasil e no mundo.  A Framecad, por exemplo, tem mais de 500 sistemas operacionais em mais de 68 países, e é reconhecida como a empresa mais completa em sistemas de construções industrializadas e de softwares de solução integrada. Líder da indústria de software de engenharia para computadores, desenvolve projetos de aço estrutural de até 10 andares que reduzem, significativamente, os gastos e o cronograma com um produto final muito superior.

Outra gigante do setor, que participa do evento é a A.D. Barbieri, que vai mostrar sua atuação na América Latina e a contribuição com o mercado da construção a seco. A Eternit também já confirmou presença e seu diretor de marketing e vendas, o arquiteto Gabriel Pontes, será mediador do tema “Evolução e Inovação do Sistema Integrado Light Steel Frame e Suas Perspectivas na América Latina e no Brasil”. Pontes destaca que a Eternit apoia esta iniciativa, e se sente orgulhosa por ser uma das primeiras indústrias a difundir, com seus produtos, o Steel Framing no Brasil. “Desde a Placa Cimentícia Prensada, com a qual trabalhamos desde a década de 70, criamos tendência. O grande compromisso da indústria é com o fornecimento de matérias e serviços de pré e pós venda; dos especificadores, com detalhamento e seleção e compatibilização de matérias; e de construtoras, com contratação de mão de obra qualificada e treinada pela indústria, e por multiplicadores em geral”.

Da vizinha Argentina virá Pablo Azqueta, que vai demonstrar as possibilidades em isolamento termoacústico para construções em LSF e também abordará a eficiência energética, patológica e física aplicada em edifícios Steel Framing.

Importantes trabalhos e “cases” também serão apresentados por arquitetos e engenheiros, que possuem experiências com o sistema construtivo.

A iniciativa do Congresso é da Take Comunicação e da Mictech Cursos e Treinamentos, que há quase uma década se dedica totalmente à formação e capacitação profissional em Ligth Steel Frame. Um dos patrocinadores do 1º Congresso de Steel Frame é Mauricio Cohab, diretor da Trisoft, fabricante de materiais de isolamento térmico e acústico para sistemas construtivos a seco.  “Creio que um encontro com todos os fabricantes de insumos para o sistema construtivo Steel Framing, mais os profissionais da arquitetura e engenharia e empresas da construção será um marco para o setor, que ainda carece de divulgação. Precisamos de mais ações conjuntas como esta para difundir o método construtivo a seco, porque o consumidor final sabe pouco sobre isso e precisamos chegar a este público. A Trisoft tem participado de obras grandiosas em Steel Frame, entre elas o maior centro de convenções da América Latina, que fica em Fortaleza, sobre o qual falaremos durante o 1º Congresso Latino Americano de Steel Frame. Creio que será um encontro muito produtivo”, finaliza Maurício.

Para participar, saber mais e ver a programação completa, basta entrar no site www.congressosteelframe.com.br

Vale lembrar que estudantes e professores têm 50% de desconto nas inscrições.

Congresso de Steel Frame é destaque no Diário de Mogi

http://odiariodemogi.com.br/opiniao/informacao/28639-arquitetas-mogianas-promovem-congresso-sobre-construcao-a-seco.html

SÁB, 28 DE MARÇO DE 2015 00:00: “Sócias da empresa MicTech, de Mogi das Cruzes, a arquiteta Heloisa Pomaro e a jornalista Luana Carregari estão à frente da realização do  I Congresso Latino-Americano de Steel Framing, que acontecerá nos dias 28 e 29 de maio, no Hotel Renaissance, em São Paulo. O evento deverá reunir alguns dos principais especialistas em construção a seco, uma alternativa construtiva baseada na economia de água, um dos assuntos mais discutidos na construção civil na atualidade. Estudos indicam que 16% da água do planeta são gastos nos canteiros de obras de alvenaria; onde boa parte dos recursos hídricos é desperdiçada por causa do uso de tecnologias ultrapassadas. A MicTech é uma das pioneiras empresas de formação e capacitação de mão de obra e desenvolve seus cursos e treinamentos na Estrada da Moralogia, em Mogi das Cruzes, onde arquitetos e construtores de todo o País têm conhecido o sistema construtivo, que começa a ser popularizado com a regulamentação do setor e manutenção de linhas de crédito governamentais. Além da redução do uso da água, a construção a seco caracteriza-se pelo combate ao desperdício de materiais, qualificação da mão de obra e a qualidade dos imóveis edificados em pouquíssimo tempo. Durante o Congresso Latino-Americano, arquitetos e engenheiros de empresas e instituições como Eternit, Trisoft, Votorantim e Caixa Econômica Federal vão compartilhar experiências sobre o Light Steel Frame, e falar sobre normas e regulamentações técnicas no Brasil, bem como as perspectivas e tendências desse mercado em expansão.”